Tropismos mediterrânicos

Manuel Teixeira gomes era uma viajeiro nato. Abandonados os estudos, embora seduzido pela boémia, optou por conciliar a independência económica com o prazer da viagem:

«Fiz-me negociante, ganhei bastante dinheiro e durante quase vinte anos (1890-1910) viajei, passando em portugal poucos meses. Montei a vida de forma que na região compreendida pelo norte da França, a Bélgica e a Holanda, onde vendia os produtos do Algarve, levava quatro ou cinco meses; ia a casa liquidar contas, e depois nos cinco ou seis meses restantes, livre e despreocupado, metia-me no Mediterrâneo, cujas costas visitei por assim dizer, passo a passo.»

Regressos. Lisboa: Seara Nova, 1935

Anúncios

~ por MGMV em Junho 14, 2007.

Uma resposta to “Tropismos mediterrânicos”

  1. Um blogue para acabar com o esquecimento de Manuel Teixeira-Gomes. Uma viagem de regresso de Bejaia a Portimão. Estimulante. Teixeira-Gomes amava a escrita indolente, a partir da observação, das referências culturais e, sobretudo, da sensualidade. E a escrita, para ele, mais não era do que o prolongamento da viagem. Por isso, viajava devagar, não como turista, mas como viajante libertino. Recortando com o olhar a costa mediterrânica, adentrando-de depois na terra, escapando às multidões, entrando num museu esquecido, o mumdo inteiro num quadro, uma igreja em ruínas. A viagem, escrita as mulheres. Voluptuosamente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: